21/06/2018

Conteúdos multimídia e interativos no Inbound Marketing

Conteúdos multimídia e interativos no Inbound Marketing

Na era da informação, a tarefa de encantar e engajar a audiência se torna ainda mais desafiadora. Por esse motivo, é preciso inovar com formatos de conteúdos diversificados e estratégias de divulgação disruptivas no ambiente digital. O primeiro passo, e um dos mais importantes, para alcançar o sucesso da sua estratégia de conteúdo é conhecer bem seu público para personalizar a comunicação. Aproveite para se aprofundar mais sobre esse tema acessando o post do Inbound Tech que ensina como criar personas de alto nível para sua empresa de tecnologia. Diante as infinitas possibilidades de meios e formatos para divulgação dos conteúdos produzidos pela sua empresa, compreender seu público-alvo fará toda a diferença na hora de elaborar um planejamento editorial eficaz. Dessa forma, é possível encontrar as abordagens certas para agradar sua audiência, o que poderá resultar em mais tráfego, engajamento e conversões.


Entenda o que é conteúdo multimídia e porque aplicá-lo à sua estratégia de Inbound Marketing:

O conteúdo multimídia é caracterizado por combinar diferentes elementos como texto, imagem, vídeo, áudio e suas formas híbridas de maneira interconectada para tornar mais atrativa as informações ao público. Incorporar múltiplos formatos de mídia torna a comunicação mais acessível e de fácil interação aos usuários. Por exigir menos tempo e concentração, a facilidade de consumir as informações neste tipo de formato torna o conteúdo multimídia mais aceito e mais fácil de ser compartilhado.

 

Confira neste post épico do Inbound Tech:

(Dica: nosso índice é clicável!)

  1. 1. Vantagens de criar conteúdos interativos e multimídia

  2. 2. Elementos para produzir um conteúdo multimídia

  3. 3. Como combinar os elementos em uma estratégia de Inbound Marketing

  4. 4. Desafios para criação dos conteúdos

  5. 5. Exemplos de conteúdos multimídia e interativos

 

1. Vantagens de usar conteúdos multimídia e mais interativos


Nos últimos anos o Marketing de Conteúdo se consolidou com uma das principais estratégias de atração de clientes na internet. Empresas de diferentes segmentos têm investido na produção de materiais educativos em múltiplos formatos como Blog Posts, Long Posts, eBooks, Vídeos, Webinars, White Papers, Infográficos e outros. Contudo, pelo grande e intenso volume de publicações, as empresas encontram cada vez mais dificuldade de atrair e engajar leitores em seus blogs e sites.

No jornalismo online, o problema se repete: os usuários permanecem pouco tempo em uma mesma página, cerca de alguns minutos (ou segundos). Com tantas informações, notícias, vídeos, imagens e músicas na internet, tal comportamento não é nenhum mistério: na Era da informação é preciso investir muito mais na qualidade de conteúdos e em formatos que encantem os usuários.

Na vanguarda da produção de conteúdos interativos e multimídia, a partir de 2010, jornais como o The New York Times e o The Guardian lançaram um novo formato de reportagens online – o longform, caracterizado por textos com mais de 4 mil palavras e o uso de diferentes mídias para compor uma narrativa. O modelo foi replicado por jornais e portais de todo o mundo, que passaram a explorar as diferentes possibilidades de narrar um acontecimento. Confira a seguir alguns exemplos:

Com a ordenação de diferentes elementos, como vídeos, infográficos, destaques no texto (olho), galerias de fotos, e recursos interativos, esses materiais passaram a ter um maior tempo de leitura, acesso e engajamento dos usuários.

No Inbound ou Marketing de Conteúdo, tais recursos estão começando a ganhar mais espaço, pelas seguintes razões:

Com o uso de novos formatos de conteúdos, também surgem novas formas de converter os usuários em leads e gerar oportunidades de vendas. A utilização de formulários fixos que bloqueiam parte do conteúdo para que o usuário preencha seus dados para continuar a leitura ou então enquetes interativas podem ampliar as possibilidades de engajamento dos usuários. Por isso é fundamental avaliar novas ferramentas e testar a recepção do público aos diferentes formatos.

2. Elementos para produzir um conteúdo multimídia

Para criar um conteúdo multimídia e comunicar de forma interativa e eficaz sua audiência é necessário combinar diferentes elementos que tornam a comunicação mais atrativa.

Confira os principais elementos que podem compor um conteúdo multimídia:

Elemento fundamental para quem deseja produzir conteúdo, a partir dele é possível elaborar Blog Posts, Long Posts, eBooks, Tutoriais, Checklists, Roteiro para Webinar, entre outros formatos variados.

Cada vez mais, o uso deste recurso tem sido adotado na estratégia de conteúdo das empresas e organizações. Isso porque, a cada dia cresce o número de consumo de conteúdos neste formato como revela pesquisa da Provokers para Google e Meio & Mensagem.

Na estratégia de comunicação, o vídeo pode ser explorado em variados formatos:

  • Webinars;
  • Conteúdo institucional;
  • Apresentação de produtos ou serviços;
  • Treinamentos;
  • Videoaulas;
  • Entrevistas, entre outros.

As imagens são importantes aliados na construção de conteúdos multimídia pois reforçam a sua identidade visual e deixam o texto mais dinâmico. É possível explorar fotos e ilustrações vetoriais separadas, mas nada impede de usar uma combinação dos dois também.

Dicas importantes:

  • Aplique-as no formato e tamanho necessário. Algumas ferramentas gratuitas podem ajudar com ajustes, como o Pixlr, o Photo Resizer e o Fotor.
  • PNG ou GIF somente quando houver transparência ou animações, respectivamente.
  • Se a imagem é pra web, comprima e use somente no tamanho necessário!

Os infográficos são representações visuais de diversos tipos de informação, fazendo uso simultâneo da linguagem verbal gráfica, esquemática e pictórica para a explicação de algum fenômeno. Podem ser divididos em infográficos curtos, com apenas alguma informação pontual para complementar um blog post, por exemplo, e longos, com conteúdo mais completo e que pode ser desenvolvido como um conteúdo rico para download. Entre os elementos utilizados, estão os textos, números, ícones, ilustrações, fotos, boxes e backgrounds. Este exemplo do Think With Google é muito interessante pelos recursos visuais aplicados.

Este formato é conhecido por ter conteúdo enxuto, direto e objetivo, focado em tópicos ou narrativas. Neste formato, é interessante evitar palavras como “objetivamente”, “consequentemente” (em um infográfico, elas podem ocupar uma linha inteira) e texto corrido (priorize dividir tópicos em subtópicos).

Dicas importantes:

  • O título deve explicar o objetivo do infográfico.
  • Se tiver vários blocos de texto, faça-os do mesmo tamanho e priorize quantidades pares.
  • Informações numéricas devem ser representadas por tabelas e gráficos: não gaste palavras explicando dados.

Ainda que timidamente, o conteúdo em áudio, como podcasts, posts narrados e audiobooks vem ganhando cada vez mais espaço em sites e blogs, sendo considerada uma das maiores tendências do futuro.

Conheça os formatos mais difundidos e integre à estratégia de conteúdo do seu negócio:

Considerada uma mídia relativamente nova, tem ganhado ganha cada vez mais adeptos por facilitar o consumo de informações em áudio, possibilitando aos usuários escutarem áudios sobre assuntos de seu interesse de onde estiverem. Confira 8 melhores aplicativos para ouvir podcast no smartphone via Techmundo.

O uso desse recurso em produção de conteúdo em vídeo tem como objetivo captar a atenção do público e evidenciar as sensações que você deseja despertar em cada momento do vídeo.

Esse recurso tem sido bastante utilizado para narração de posts ou gravação de audiobooks por empresas que são referência no Marketing Digital, como Resultados Digitais e Rock Content. O Vooozer é a ferramenta utilizada por essas empresas para produção de conteúdos nesse formato.

A imagem em movimento é muito importante para o destaque de conteúdos digitais atualmente. Aplicar vídeos e Gifs pode prender a atenção do leitor e tornar seu percurso mais dinâmico em blogs, conteúdos ricos e redes sociais. Os formatos se dividem em vídeo (.mov), que podem ter tamanho quase ilimitado, porém mais pesados, e Gif, que possui limitação de cores, mas é útil para redes sociais e inserção em arquivos leves.

Conheça os principais tipos deste recurso:

É um conteúdo complexo e muito utilizado para vídeos de apresentação institucional. Envolve etapas de roteiro e planejamento, além de pessoal especializado para o desenvolvimento. A Unicef possui um exemplo bem interessante desse tipo de conteúdo, que apresentamos aqui abaixo.

Estes gifs podem ser encontrados diretamente na internet, em sites como giphy.com. Famosos pelo humor, o uso depende da linguagem, identidade da empresa e direitos de imagem.

Consiste em peças simples e informativas, com a troca de telas ao longo do tempo, sem animação.

Também pode ser a sobreposição de dados na mesma imagem.

Este formato busca representar um pequeno movimento na imagem, podendo ser repetitivo ou não, para aplicação como Gif. São interessantes para trazer dinamismo a um conteúdo de texto, por exemplo.

A gravação de tela vêm sendo utilizada com frequência em conteúdos online pela facilidade e interatividade possível. É necessário gravar um movimento em tela em aplicativos especializados, como o Quicktime, e transformar em um vídeo o Gif, sendo muito interessante para demonstrar atividades do tipo passo a passo.

gif_site

Independente do formato escolhido, é importante avaliar a melhor forma de comunicar determinada informação, pensando em como explorar os diferentes elementos multimídia que podem ser utilizados para complementar e reforçar a comunicação. O ideal é que o roteiro do conteúdo já seja desenvolvido com um volume de texto menor e ajude a direcionar o trabalho da equipe de design.

3. Como combinar os elementos em uma estratégia de Inbound Marketing

Um cuidado que todo produtor de conteúdo Inbound deve ter ao usar elementos multimídia é de não transformar o texto em um verdadeiro Frankenstein! Usar vários tipos de mídia de forma desconexa e com a finalidade de tornar um post apenas mais “arejado” e “leve”, pode ser tão fatal quanto não usar elemento algum. Tal como no jornalismo, cada parte que compõe uma página deve conter informações relevantes e que façam sentido para o usuário.

Para isso é importante analisar o tema de cada conteúdo a ser produzido e refletir de que forma o material pode se tornar mais atrativo, e de fato, encantar o público. Tabelas gigantes e relatórios extensos, sem nenhum tipo de interpretação não vão parecer mais interessantes só porque estão diagramados. Assim como um gif ou animação podem não engajar os leitores de um blog mais sério.

Assim, o primeiro passo é ter bom senso! E claro, conhecer bem o seu público a partir do desenho elaborado de personas. É interessante também aplicar testes para verificar a recepção dos conteúdos em diferentes formatos.

4. Desafios para criação dos conteúdos

 

Mobile first

Mobile first é um conceito aplicado em projetos web no qual o foco inicial da arquitetura e desenvolvimento é direcionado aos dispositivos móveis e em seguida para os desktops. Aqui, vale a pena pensar sobre a experiência do usuário e nos breakpoints (olho, linha-fina, box). Este post da Hostgator explica que o conceito surgiu em 2011, pensado por Luke Wroblewski (Diretor de Produto do Google) ao publicar o livro Mobile First, mas muitas empresas ainda não utilizam por dificuldade em mudar o mindset. O próprio Google prioriza sites Mobile Friendly.

 

Mobile Friendly:

Ferramenta que analisa uma página específica do seu site. Você insere a URL e recebe o retorno se a página está ou não otimizada para acesso via celulares e dispositivos móveis.

Google Webmaster Tools:

Permite que você tenha uma visão geral dos diferentes aspectos do seu site. Com essa ferramenta você visualiza quais as páginas do seu site estão otimizadas para dispositivos móveis.

Como o redator pode pensar o conteúdo de forma visual

Uma boa comunicação entre redação e design é fundamental! A redação precisa saber a melhor forma de explicar suas ideias e compreender as possibilidades de diagramação e montagem do designer antes de escrever. Priorize elementos claros no layout para que o designer construa a narrativa da forma que o jornalista está pensando: texto, vídeo, imagem, som representados com ícones, boxes e tópicos relacionados a cada um desses elementos. Diversos materiais podem ser multimídia, desde ebooks, vídeos a posts: todos podem conter mini infográficos! Conteúdo web precisa ser pensado de maneira visual.

Pensar na interação do usuário, sempre!

Animações e interações diferenciadas são sensacionais, porém complexas e difíceis de realizar. Às vezes o poder de links e âncoras bem aplicadas em um conteúdo rico ou post podem ser tão efetivos quanto. O usuário quer ter um percurso e se sentir guiado pelo conteúdo. Abaixo temos um exemplo bem interessante sobre interação no conteúdo.

O que fazer quando o cliente não tem identidade visual?

Um dos grandes desafios para as agências é trabalhar com o desenvolvimento de conteúdos sem elementos visuais do seu cliente. É necessário criar elementos de apoio que se conectem em todos os materiais para dar credibilidade visual à marca. Busque referências digitais do seu cliente: o que é usado no site, redes sociais e demais materiais pode ser aproveitado e servir de base para um refinamento.

 

5. Exemplos de conteúdos multimídia e interativos

Depois de apresentar as vantagens, os elementos e como estruturar conteúdos multimídia e interativos, você deve estar pensando em como esses modelos estão sendo utilizados no marketing de conteúdo, não é? Selecionamos alguns exemplos que demonstram as infinitas possibilidades que os produtores de conteúdo tem para explorar:

No Inbound Marketing o conteúdo multimídia pode ser explorado de diversas formas para tornar mais atrativo:

Whitepaper interativo – A empresa americana Athena Health lançou um material educativo sobre os 5 elementos de uma estratégia bem sucedida de envolvimento do paciente, em um formato interativo. Além de disponibilizar o texto em uma diagramação padrão, no site também há uma versão com enquente e pequenas animações, que tornam o conteúdo mais atrativo.

 

Talvez um dos melhores exemplos das múltiplas possibilidades para construir conteúdos interativos a partir de diferentes formatos seja o do site Transformação Digital. Em um conteúdo épico sobre o tema, foram utilizados fotos, animações, destaques, ferramentas interativos, gráficos e outros. Um dos principais diferenciais é o próprio formato da página, que tornou o material atrativo e com certeza, encanta os produtores tradicionais de conteúdo.

 

Neste post do Trello foram incluídos diferentes elementos que tornam o conteúdo mais atrativo, como um vídeo inicial, seguido por textos, fotos e destaques de falas (olho) sobre o projeto citado. Nesse outro post do Trello foram utilizadas animações e gifs para compor a narrativa sobre gamificação.

No blog da Asana (ainda sem versão em português) também são utilizados elementos multimídia nos posts. Um formato interessante é o uso de animações para visualização da própria ferramenta, que pode ser replicado para diferentes negócios e plataformas.

 

O site VisionCritical, que produz conteúdos sobre marketing e negócios, elaborou um infográfico animado sobre a Evolução do Insight. O material é educativo e funciona como uma linha do tempo. Além de ser muito atrativo, fornece as informações de forma clara e objetiva.

 

A empresa brasileira Samba Tech lançou um conteúdo interativo no formato de um jogo de detetive “O que matou o seu canal de vídeos”, onde em cada espaço que o usuário seleciona, são fornecidas informações sobre a produção de vídeos para a internet.

 

Conclusão

Apesar de todas as vantagens apresentadas e benefícios para as estratégias de Inbound, com certeza a adoção de elementos multimídia que tornem os conteúdos mais interativos ainda é um desafio. Além de mais tempo para produção e o envolvimento de outros profissionais, é necessário avaliar o retorno dos investimentos realizados, a partir de diferentes critérios como vendas, geração de leads e taxas de rejeição. Contudo, é fundamental buscar ampliar o uso de elementos cada vez interativos para atrair, engajar e encantar clientes.

E você, já usou diferentes elementos multimídia em um mesmo conteúdo? Conte nos comentários as suas experiências e resultados!

Até a próxima.

Sobre nós

Bianca Escrich
Jornalista especialista em Marketing Digital e produção de conteúdo para empresas de tecnologia. Militante da bike, apaixonada por viajar o mundo e descobrir outras culturas e histórias. Está sempre em busca de novos conhecimentos e de aliar o lazer ao profissional.

Carol Tavares
Designer gráfico no time da Dialetto e mestranda em Design pela UDESC, acredita que universos visuais são poderosos aliados dos textos. Se interessa pelo design e pelas possibilidade que o mundo digital pode proporcionar à acessibilidade. Ama filmes, séries, livros ilustrados e de tudo um pouco.

Miriam Amorim
Jornalista com interesse em novas tecnologias, inovação, educação e infância. Ama fotografia, filmes, livros e trilhas sonoras. Adora tomar café, ouvir boas histórias e aprender sobre novas áreas.

 


Avatar

Sobre o autor

Dialetto

Receba informações
e notícias em seu e-mail

Li e aceito os termos da Política de Privacidade